Atualize seu navegador!
Notícias

MÉTODO TEACCH (Tratamento e Educação para autistas)

  

MÉTODO TEACCH

          (Treatment and Education of Autistic and related Communication-handicapped Children)

      Em português significa Tratamento e Educação para Autistas e Crianças com Déficits relacionados com a Comunicação. É  um programa educacional e clínico com uma prática predominantemente psicopedagógica criado a partir de um projeto de pesquisa que buscou observar profundamente os comportamentos das crianças autistas em  diversas situações frente a diferentes estímulos.

     0 método Teacch fundamenta-se em pressupostos da teoria comportamental e da psicolingüística:

   * Na área da psicolingüística, fundamenta-se nessa teoria a partir da afirmação de que a imagem visual é geradora de comunicação.

  * Na Terapia comportamental é  imprescindível que o professor  manipule o ambiente do autista de maneira que comportamentos indesejáveis desapareçam ou, pelo menos, sejam amenizados, e condutas adequadas recebam reforço positivo.
    * Na terapêutica psicopedagógica, trabalha-se concomitantemente a linguagem receptiva e a expressiva. São utilizados estímulos visuais (fotos, figuras, cartões), estímulos corporais (apontar, gestos, movimentos corporais) e estímulos audiocinestesicovisuais (som, palavra, movimentos associados às fotos) para buscar a linguagem oral ou uma comunicação alternativa. Por meio de cartões com fotos, desenhos, símbolos, palavra escrita ou objetos concretos em seqüência (potes, legos etc.), indicam-se visualmente as atividades que serão desenvolvidas naquele dia na escola. Os sistemas de trabalho são programados individualmente e ensinados um a um pelo professor. As crianças autistas são mais responsivas às situações dirigidas que às livres e também respondem mais consistentemente aos estímulos visuais que aos estímulos auditivos.

Quando a criança apresenta plena desenvoltura na realização de uma atividade (conduta adquirida), esta passa a fazer parte da rotina de forma sistemática.

    Mas o trabalho não se limita apenas aos aspectos cognitivos, ensinando-lhes  também noções básicas de (AVD –atividades de vida diária e AVP- Atividades de vida prática )  possibilitando-lhes  maior independência possível.

    Na maioria das vezes a utilização deste método traz tranqüilidade à criança já que possibilita melhor compreensão e comunicação. A classe é, geralmente , composta  no máximo por seis alunos; há um professor e um assistente.

      Estes profissionais são treinados, num curso teórico-prático na própria escola (recebendo orientações de profissionais que se capacitaram na APAE de Pará de Minas e AMA –S. P)

      Usando da pesquisa de potencialidades, dificuldades e preferências do indivíduo para criar um plano que promova o máximo possível sua independência, tem atingido os objetivos propostos.

      O TEACCH tem ajudado o autista a adequar-se dentro de suas possibilidades à sociedade, promovendo sua independência em função de suas dificuldades.

      As técnicas comportamentais e a educação especial têm mostrado a forma mais eficiente para o atendimento dos indivíduos portadores do espectro autístico.

       Em  anos de utilização do método, na APAE de T. Otoni, é possível pesar seus ganhos e ver que vale a pena investir em uma proposta estruturada e individualizada.            

 


Fonte: Supervisora Pedagógica da APAE de T. Otoni/Josélia Coelho Gazel